• Português (Brasil)
Home METODOLOGIAS

Metodologias e Sistemas de Pesquisa e de Gestão de Pesquisa

A Inova pode elaborar metodologias apropriadas a necessidades de gestão de seus clientes, em áreas como as de gestão de P&D, gestão estratégica, gestão da inovação, e avaliação de políticas públicas.

Abaixo alguns exemplos de metodologias já desenvolvidas pelos sócios da Inova:

1.Metodologia de Prospecção de Demandas em Cadeias Produtivas

Esta metodologia foi desenvolvida em 1994 para garantir procedimento sistemático e baseado em análise dos principais stakeholders da ação da Embrapa – cadeias produtivas e sistemas naturais – que permitisse identificar demandas tecnológicas e não tecnológicas destes, para orientar prioridades de pesquisa para a empresa. A metodologia se baseia em análise sistêmica (de cadeias e sistemas naturais), na segmentação de componentes de cadeias e na quantificação de desempenho destas últimas (eficiência, qualidade, competitividade, equidade e sustentabilidade). A metodologia inclui uma etapa de análise diagnóstica, resultando em demandas atuais, e prospectiva (demandas potenciais e futuras).

Esta metodologia foi posteriormente adaptada – com êxito - para a análise de cadeias industriais (madeira e móveis, transformados plásticos, construção civil e têxteis), a pedido do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Foi também a base para a construção de módulos instrucionais sobre análise de cadeias produtivas, em projeto do Instituto Internacional para a Pesquisa Agropecuária Nacional, organismo internacional de apoio à organizações públicas de pesquisa agropecuária (ISNAR), para capacitação de gerentes de P&D nestas organizações.

2.Sistema de Informação Gerencial para Organizações de Pesquisa

Sistema desenvolvido para a Embrapa, em 1999 (aperfeiçoado posteriormente, devido a mudanças no sistema de gestão da empresa), a partir do levantamento de necessidades de informação dos vários stakeholders da Embrapa (internos, desde o próprio líder de um projeto de pesquisa, até a alta Direção da empresa) e externos (outros órgãos de Governo, sociedade em geral). Além destas necessidades, fundamentaram o sistema a concepção de portfólios e de projetos (interdisciplinares, em parcerias ou redes, sistêmicos, orientados para alavancar o desempenho de cadeias produtivas).

3.Metodologia de Gestão Estratégica de Portfólios e Projetos de Pesquisa

Na gestão de portfólios e de projetos de pesquisa, a Embrapa necessitava de metodologia que lhe permitisse, a partir das estratégias definidas pelo Plano Diretor da empresa : acompanhar a carteira de projetos em execução; definir prioridades de pesquisa, a partir das formulações estratégicas; orientar a seleção de novos projetos, com base na carteira existente e na oferta de novos projetos; redefinir prioridades de pesquisa a cada dois anos, a partir de resultados estratégicos alcançados e ainda por alcançar. Esta metodologia foi introduzida gradualmente, na gestão de P&D da Embrapa, a partir de 2005.

4.Metodologia de Planejamento Estratégico para Organizações de Pesquisa

Por solicitação do Ministério da Ciência e Tecnologia, foi desenvolvida em 2005 uma Metodologia de Planejamento Estratégico (PE), que orientou este planejamento em 17 unidades de pesquisa vinculadas ao MCT. A elaboração da metodologia envolveu atividades de motivação e sensibilização para o PE; levantamento in loco sobre o estado da arte da gestão de CT&I nas Unidades e sobre a motivação e capacidade atual sobre PE; e do desenvolvimento participativo da metodologia a ser utilizada na execução do PE propriamente dito. A metodologia – elaborada a partir da experiência da Embrapa com processos de PE, e nas necessidades manifestas pelas unidades de pesquisa do MCT – constou de quatro partes: a) relevância do do planejamento estratégico em organizações de CT&I e caracterização do enfoque estratégico; b) Dimensões d o enfoque estratégico (contexto, futuro, estratégia e gestão, participação) em organizações de CT&I; c) metodologia de análise dos ambientes externo e interno e do futuro das Unidades do MCT e para elaborar estratégias a partir dessa base de informação; d) contém orientações para a gestão do processo de planejamento estratégico participativo e para a posterior implementação das estratégias elaboradas.

Link para o PDF